Google+ Followers

domingo, 7 de agosto de 2011

tua inocência

Tempo da minha alma


Vence o tempo de arde,

Busca o tempo na calma

Na solidão desta tarde.



Ai que tarde tão lenta,

Ai que lentidão tardia.

Brusco descanso que lembra,

A lembrança d’acalmia.



Tarde dura de cansaço,

Lembra-te da minha essência,

Poupa-me do meu descanço,

Parte da minha ausência

Já estou tão esgotado,

Da tua inocência….





Sem comentários:

Enviar um comentário