Google+ Followers

sexta-feira, 15 de março de 2013

Governo a roubar; presidente na toca de um palácio


Havia alguns vizinhos meus que afirmavam, que a culpa da ditadura não era do Salazar, era da PIDE; o meu avô avisava-me que quem criou a PIDE foi Salazar, e, por isso, era ele o responsável máximo pelo regime do Estado Novo. Nunca tinha pensado nisto, até um agente da PIDE ser designado ministro da finanças, primeiro ministro e presidente da república, com votos e tudo. E, porquê?!

Ele quando não sabe, inventa tabus; para desprezar este povo, sem tabus, reparem: o menosprezo ao PM, José Sócrates, como toda a gente informada sabia, num Portugal com tanta gente iletrada, desconhecedora e acritica, apostou a sua infuência aos neo-liberias da sua cor.

Para um acerto de contas maior, manda o governo sem maioria parlamentar pedir um empréstimo na U.E., muito bem acompanhada pelo F.M.I. que tomem conta de Portugal. E tomaram…

Este pais está nas mãos de gatunos que nunca souberam gorvenar. Os vícios de PPC, que faz de PM, continuam e os rapazitos e garotas no governo roubam à vontade e de governo nada! É evidente que não querem, mas se desejassem, não sabiam!

Os jovens emigram, os desempregados aumentam, os velhos pobres – como uma pelintra pensão - morrem, de fome e de miséria; os suicídios aumentam. O agora, presidente, fura-se no palácio real e não admite dizer que, durante dez anos, de 85 a 95 como PM, chefiou um bando de ladrões que, apenas, num banco roubaram – dizem – mais de sete mil milhões de euros. Quanto ao sete mil milhões, toda a gente está de acordo, mas o resto? São mais ou menos que sete mil milhões? Mais eram 40 ladrões, não; eram mais!

O presidente deixa aumentar esta política assassina que ele próprio criou; a sombra que ocupa o pálácio de Belém, mostra-se inapto de admitir qualquer acção dos temas actuais. A miséria de um população, parece que lhe dá prazer… até quando?

Sem comentários:

Enviar um comentário